Newsletter: Dezembro 2020


 

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS

MANUEL FERREIRA PATRÍCIO

DEZEMBRO/2020

NEWSLETTER

Nesta edição não perca:

Voz dos Alunos (9ºB) Contos de Natal (7ºAno) 7ºD à Descoberta T-shirt da Esperança


A VOZ DOS ALUNOS

Entrevista de Final de Período à Turma Finalista 9ºB

O CCS, com especial referência às alunas  Luna Calhau, Paula Marreiros e Raquel Pires do 8ºA, entrevistou os alunos do 9º ano, os que aqui estudam há mais tempo, para recolher testemunhos do seu percurso na nossa escola e de como foi o primeiro período deste ano letivo que é, para eles, o seu último ano na Escola Manuel Ferreira Patrício. Entrevistámos a turma do 9º B, que prontamente respondeu às nossas questões.

Antes do início do período, que expetativas tinham sobre o regresso ao ensino em regime presencial?

No início não sabíamos muito bem o que esperar, mas queríamos muito regressar à escola. O ensino presencial é diferente, mais próximo, e já nos fazia falta!

Quando regressaram, o que vos surpreendeu? 

Surpreenderam-nos as medidas de segurança e o facto de não termos que regressar ao ensino à distância. Muitos de nós pensávamos que ao fim de duas semanas teríamos que voltar para casa. Pensávamos que iríamos ficar confinados passado pouco tempo e surpreendeu-nos, pela positiva, que isso não tenha acontecido.

Mas já tiveram que ficar confinados? 

Sim, já ficámos por dois dias, enquanto aguardávamos o resultado do teste de um colega que acabou por dar negativo. Também ficamos em Ensino à distância posteriormente, quando ficou todo o 3º ciclo, embora aí não tenha sido por motivos de isolamento da nossa turma.

Quando ficaram confinados, como foi?

Preferíamos ter estado na escola, mas foi diferente do ano letivo anterior. No ano passado demorou algum tempo até se organizarem as aulas online. Desta vez o ensino à distância já estava preparado e foi rápido a iniciar tudo.

Como se sentiram? 

Por um lado soube bem! (risos) Foi uma semana mais soft! Por outro lado, estava tudo a funcionar e conseguimos trabalhar à distância.

Não se sentiam ansiosos?

Não. Só quando estivemos em confinamento e pensámos que um colega poderia dar positivo. Aí sim, tivemos medo de ter Covid, não tanto por nós, mas pelos nossos familiares.

Que atividades puderam continuar a fazer na escola ou não puderam e gostariam de fazer?

Não podemos jogar à bola no campo e isso é algo de que sentimos falta. Também há menos desporto escolar e, na aula de educação física, os grupos são limitados. Não se pode jogar em grande grupo. Também gostaríamos de fazer mais trabalhos de grupo e sentimos falta disso.

Sendo assim, esperam que a situação possa melhorar no próximo período?

Logo no início do período não, mas ao longo do tempo acreditamos que a situação da pandemia em geral irá melhorar.
Mesmo com todas as restrições, sabemos que é importante manter relações pessoais e sociais no espaço escolar.

Os laços criados nesta escola contribuíram para a vossa formação pessoal? 

Bastante! Alguns de nós andam aqui desde o ensino pré-escolar. («Até já aqui criei raízes!» ouve-se.) (risos) De facto, em alguns aspetos, os laços que aqui fizemos contribuem para a nossa formação. Sobretudo ao início, quando somos mais pequenos. Quando andamos no primeiro ciclo as relações sociais são muito importantes. Depois vão-se mantendo ao longo do tempo.
Com esta situação, ainda é mais importante ter os amigos de sempre e ter raízes no espaço, e uma relação com os professores, os funcionários… Por isso, sim. Os laços criados na escola contribuem muito para a nossa formação.

E com as máscaras e as medidas de prevenção da pandemia, há muitas diferenças nas vossas relações de amizade na escola? Sentem-se afastados?

Não. Como já nos conhecemos, as relações de amizade mantêm-se. Não nos sentimos isolados e habituámo-nos bem a estar na escola desta forma. «A diferença é que agora há algumas brincadeiras com o álcool gel!» (risos)

Em termos académicos o 9º ano é sempre marcante. Aqui, além disso, é o vosso último ano nesta escola. Será diferente ser finalista em tempos de pandemia?

Sentimos falta daquela azáfama dos diferentes eventos. Gostávamos de poder ter as listas e aquela dinâmica de ser finalista! Também esperávamos ter mais visitas de estudo no nosso ano de finalistas… 

Ao longo do vosso percurso de tantos anos nesta escola, em que atividades participaram? Quais consideraram mais enriquecedoras e porquê?

Participámos no desporto escolar e nos torneios inter-turmas! Gostávamos de ganhar os prémios! (riso) Estas atividades fortalecem o espírito de equipa e a relação entre os alunos da turma. As turmas ficam mais unidas quando participam em atividades. Gostamos muito! 

E quanto a outras atividades que não as desportivas?

Quando somos mais pequenos gostamos de outras atividades mas, para a nossa turma, as atividades desportivas foram sempre as mais marcantes. 

Em suma, consideram que esta escola contribuiu para a vossa formação? É uma boa escola?

Às vezes achamos que não. Também achamos que os professores são muito rígidos, mas… Mas, agora que estamos no nono ano, já conseguimos ver esta escola de outra forma. No quinto ano víamos a escola como uma obrigação e agora a vimos escola como um lugar para aprender e para ter um bom futuro! 

Que sugestões deixam à escola?

Gostaríamos de ser mais compreendidos! Nós ajudamo-nos muito, ajudamos os professores, os funcionários, e às vezes não somos compreendidos. Gostávamos de ser mais compreendidos por professores e funcionários. Claro que às vezes não temos razão e pensamos que temos…

Que mensagem gostariam de deixar a toda a comunidade escolar? 

Aos colegas mais novos, gostávamos de dizer que “tomem tato”! «Eu diria para serem confiantes! Um aluno tem que ter fé e tem que acreditar que vai conseguir!» «E protejam-se!»

 

E à restante comunidade?

«Protejam-se e Feliz Natal!»    

A equipa do CCS agradece a amabilidade do 9º B e retribuí os votos de feliz Natal.
Sorte e muito sucesso futuro a todas as turmas finalistas!

 


 

CONTOS DE NATAL

Projeto Individual de Leitura

         O Projeto Individual de Leitura do 1º período dos alunos do 7º ano foi um conto de Natal. Todos os alunos foram desafiados a procurar um livro com um conto de Natal (na sua casa, em casa de algum familiar, na biblioteca da escola, na internet), a ler atentamente o conto e a preparar cuidadosamente a sua apresentação à turma.

O Tomás Pisco apresentou, com muito entusiasmo, o conto O Natal do Avarento, de Charles Dickens. A Leonor Percheiro gostou muito de ler e apresentar o conto Charlie, o Limpa- Chaminés e o seu gato Farrusco, de Bruce Peardon.

Lê os resumos destes contos, feitos pelo Tomás e pela Leonor, e aproveita a pausa do Natal para também tu leres um conto sobre esta época festiva.

Título do conto: Charlie, o Limpa- Chaminés e o seu gato Farrusco
Autor: Bruce Peardon

Leonor Percheiro, nº 14 , 7º C

Este conto fala de um rapaz que limpava chaminés e por isso andava sempre todo sujo. As pessoas diziam que quando lhe tocavam ele lhes dava sorte. Ele tinha um gato de nome Farrusco. O rapaz era órfão e não tinha casa por isso era ajudado pelo padeiro que lhe dava dormida na arrecadação e restos de comida, em troca de ele lhe limpar o forno e as chaminés.

Quando tinha que trabalhar no outro lado da cidade, passava junto a um lago gelado onde os meninos patinavam. Ele também sonhava fazê-lo mas os patins eram caros. Um dia uma menina, a Becky, quis emprestar-lhe os dela, mas a mãe zangou-se por ela estar a falar com um rapaz todo sujo. A Becky tentou desculpar-se dizendo que a mãe estava triste, porque o seu irmão tinha morrido há pouco tempo.

Na noite de Natal, Charlie pôs a sua meia pendurada por cima do forno da padaria e desejou uns patins.

Durante a noite o Pai Natal apareceu e trouxe-lhe uns patins e roupas quentes e bonitas para ele vestir. O Charlie ficou muito contente e foi patinar para o lago.

Encontrou a Becky, que mal o reconheceu assim limpinho! Ela pediu ao pai para o convidar para a ceia de Natal e quando chegou lá a mãe da Becky abraçou-o.

Nesse dia os pais da Becky convidaram-no para viver com eles. Ele ficou muito feliz, mas disse logo que tinha que continuar a limpar as chaminés do padeiro porque sempre foi bom para ele.

Título do conto: O Natal do avarento
Autor: Charles Dickens

Tomás Pisco, n.º19, 7ºC

A história passa-se em Londres, na véspera de Natal e fala de Ebenezer Scrooge, um velho ambicioso que não gostava do Natal.

Quando ele volta para casa no fim do dia, é visitado pelo fantasma do seu  ex-sócio Jacob Marley que o avisa que vai receber a visita de mais três espíritos que vão tentar mudar a sua atitude em relação ao Natal.

O primeiro foi o Espírito do Natal Passado que mostrou a Scrooge coisas que lhe aconteceram e o recordaram de quando era jovem e gostava do Natal.

Depois veio o Espírito do Natal Presente que lhe mostrou como as pessoas ainda se importavam com ele, mesmo sendo antipático.

Finalmente o Espírito do Natal Futuro mostrou como Scrooge iria ser esquecido, se não mudasse a sua maneira de ser.

Quando Scrooge acordou parecia uma pessoa muito diferente, para os outros. Os espíritos conseguiram mudar a atitude de Scrooge para melhor, e a partir desse dia passou a gostar do Natal e a comemorá-lo com a família e os amigos.

 


 

7ºD À DESCOBERTA DA PRÉ-HISTÓRIA NO CONCELHO

Visita aos monumentos megalíticos e pesquisa individual

No dia 26 novembro a turma D do 7º ano participou numa visita de estudo aos monumentos megalíticos de Évora.

A visita incluiu a gruta do Escoural, a anta do Zambujeiro, o menir dos Almendres e o Cromeleque dos Almendres. 

Esta visita ocorreu no âmbito do projeto que a turma tem vindo a desenvolver acerca da pré-história. Na ida à gruta os alunos do 7ºano puderam vir pinturas e gravuras rupestres. Para além da Anta do Zambujeiro visitaram ainda uma anta que foi transformada em capela, perto de Valverde e passaram em Guadalupe, onde almoçaram.

Junto aos monumentos megalíticos houve atividades de orientação com bússolas e ainda a descoberta de marcas gravadas na pedra. Todos gostaram muito e gostavam de voltar porque foi muito interessante ver os monumentos ao vivo.

As professoras da turma admiraram os alunos por se terem comportado bem e mantido um ótimo relacionamento interpessoal. Não houve conflitos e, a brincar, ajudaram as professoras em algumas atividades. Aprenderam, tiraram fotos de grupo, riram muito e divertiram se muito.

Os alunos, à chegada, agradeceram ao motorista e às professoras por lhes terem proporcionado esta visita, onde puderam ver de perto monumentos com milhares de anos.

Dando a palavra aos alunos: «Foi uma aula diferente aquela que estão habituados no dia-a-dia. Estes alunos do 7ºano passaram um dia diferente, fora da escola. Apesar de ser complicado com esta situação que o nosso país esta a atravessar, os estudantes não podem ficar desmotivados ao passarem o tempo fechados na escola. Assim estes não ficam desmotivados. Os alunos ficaram com vontade de voltar. Dá-se assim os parabéns aos educadores que, apesar desta pandemia, têm inovações para promover o estudo.»

Escrito pela aluna Maria Beatriz Faleiro 7ºD.


 

TURMA 5ºF

Atividades

“Ser diretor por um dia”

Somos os alunos do 5ºF, gostamos de fazer projetos diferentes.
No dia 3 de novembro, experimentámos a atividade “Ser diretor por um dia”.
O escolhido foi o Leandro. Ele passou parte da manhã com o Diretor da escola.
Até foi com ele a uma reunião e deu a sua opinião sobre a escola. No fim, voltou à turma que lhe perguntou se tinha gostado e ele respondeu. O Leandro ficou a saber como é ser diretor.
Para o próximo mês, quem se portar bem, vai ser o próximo “diretor por um dia”.

 

 

O Halloween na nossa escola

Na semana de 26 a 30 de outubro, as turmas da nossa escola decoraram as portas das suas salas, com motivos alusivos ao Halloweeen.

Por toda a escola havia portas decoradas com esqueletos, fantasmas, múmias, vampiros e bruxas. Havia também muitos “Jack o’lantern”, com os seus sorrisos prazenteiros, à solta por toda a escola. Foi uma animação! Nas aulas de inglês os alunos fizeram atividades sobre o Halloween e até se ouviram músicas de terror em algumas aulas. Com muitas gargalhadas e diversão celebrámos o Halloween.

No final as portas foram vistas e avaliadas por um júri, composto por vários professores, tendo ganho a turma do 5º F (PCA) que decorou a sua porta de monstro, rodeado de sepulturas, abóboras, morcegos e fantasmas!! A turma ficou muito feliz com esta vitória e com o reconhecimento do seu trabalho.
Agora é hora de tirar as decorações e continuar a nossa vida escolar. Para o ano voltamos a celebrar o Halloween com muita animação.
Turma 5ºF com a Professora Luísa Tavares

 


ESCOLA SOLIDÁRIA

Os alunos da Escola da Cruz da Picada fazem recolha de garrafas para ajudar o CANTINHO DOS ANIMAIS de Évora.

As garrafas recolhidas são posteriormente colocadas na máquina de recolha do Pingo Doce.

Escolhendo a opção DOAÇÃO o valor reverte para ajudar os animais da instituição.

DIA S. MARTINHO NA E.B. SR.ª DA GLÓRIA

No dia 11 de novembro comemorámos o Dia de S. Martinho na EB Senhora da Glória.

Nas salas de aula aprendemos a lenda do Verão de S. Martinho, canções e provérbios alusivos a este dia.

À tarde, fizemos o magusto no recreio onde comemos castanhas assadas.


T-SHIRT DA ESPERANÇA

Turma 6ºA

“Esperança não pode morrer enquanto existir em cada um de nós vontade de viver num mundo melhor!”
Professora Elsa costa

 


NOTÍCIAS DA HORTA

Pré-escolar


Newsletter: Dezembro @2020

Supportscreen tag